Rádio Mega Mixx:Tecno,Dance Trance,House,Drum'n Bass.,,

Total de visualizações de página

Estava a sua espera!!! Tô Feliz que veio... curta meu Blog!! Bjbjbjbj

Windows Live Messenger


Em casa!!! Bjbjbjbjbj "Você que visita meu blog e encontra suas idéias aqui publicada indevidamente, pode me contactar meu e-mail iracemarosolem@hotmail.com ... e tenha certeza ñ é de propósito! amo visitar blogs e publicar material interessante. Bjbjbjbjbj

João Rafael!!

João Rafael!!

Meus Lindos!!

Meus Lindos!!

Pedindo aplausos!!rsrsrsrsr...

Pedindo aplausos!!rsrsrsrsr...
Não é uma graça?

João Rafael

João Rafael
Tomando chimarrão 22 de junho de 2010 San Alberto - Py

Momentos

Momentos
FELIZ

Candura!

Candura!

Carinho!!

Carinho!!

Meu mais novo dos amores

Meu mais novo dos amores

Artesanatos da professora

Artesanatos da professora

Artesanatos da professora

Artesanatos da professora

"Amo ver você aqui!!!" : )

Volte quando desejar!! Ok???

Viva a vida com alegria!

"Família...Minha Paixão!!!"

Quem sou eu

Minha foto
Foz do Iguaçu, Paraná , Brazil
Sou professora aposentada, mãe de três filhos maravilhosos e vovó de um bebê lindo,amo viver...adoro ouvir músicas e sou fã nº1 de um bom regaae,adoro poesias ,internet,sou uma orkuteira de plantão ,adoro postar fotos e um monte de coisas. Bjbjbjbj

Amo sua visita... 24/09/09

free counters

Você está no...

sexta-feira, 21 de maio de 2010

O Amor...


















O amor romântico é como um traje, que, como não é eterno, dura tanto quanto dura; e, em breve, sob a veste do ideal que formámos, que se esfacela, surge o corpo real da pessoa humana, em que o vestimos. O amor romântico, portanto, é um caminho de desilusão. Só o não é quando a desilusão, aceite desde o príncipio, decide variar de ideal constantemente, tecer constantemente, nas oficinas da alma, novos trajes, com que constantemente se renove o aspecto da criatura, por eles vestida.


Fernando Pessoa




Fonte: O Pensador
Charles Chaplin
 O caminho da vida pode ser o da liberdade e da beleza, porém nos extraviamos.
A cobiça envenenou a alma dos homens... levantou no mundo as muralhas do ódios... e tem-nos feito marchar a passo de ganso para a miséria e morticínios.
 Criamos a época da velocidade, mas nos sentimos enclausurados dentro dela. A máquina, que produz abundância, tem-nos deixado em penúria.
Nossos conhecimentos fizeram-nos céticos; nossa inteligência, empedernidos e cruéis. Pensamos em demasia e sentimos bem pouco.
Mais do que de máquinas, precisamos de humanidade. Mais do que de inteligência, precisamos de afeição e doçura. Sem essas virtudes, a vida será de violência e tudo será perdido. ("O Último discurso", do filme O Grande Ditador)

Nenhum comentário:

Postar um comentário