Rádio Mega Mixx:Tecno,Dance Trance,House,Drum'n Bass.,,

Total de visualizações de página

Estava a sua espera!!! Tô Feliz que veio... curta meu Blog!! Bjbjbjbj

Windows Live Messenger


Em casa!!! Bjbjbjbjbj "Você que visita meu blog e encontra suas idéias aqui publicada indevidamente, pode me contactar meu e-mail iracemarosolem@hotmail.com ... e tenha certeza ñ é de propósito! amo visitar blogs e publicar material interessante. Bjbjbjbjbj

João Rafael!!

João Rafael!!

Meus Lindos!!

Meus Lindos!!

Pedindo aplausos!!rsrsrsrsr...

Pedindo aplausos!!rsrsrsrsr...
Não é uma graça?

João Rafael

João Rafael
Tomando chimarrão 22 de junho de 2010 San Alberto - Py

Momentos

Momentos
FELIZ

Candura!

Candura!

Carinho!!

Carinho!!

Meu mais novo dos amores

Meu mais novo dos amores

Artesanatos da professora

Artesanatos da professora

Artesanatos da professora

Artesanatos da professora

"Amo ver você aqui!!!" : )

Volte quando desejar!! Ok???

Viva a vida com alegria!

"Família...Minha Paixão!!!"

Quem sou eu

Minha foto
Foz do Iguaçu, Paraná , Brazil
Sou professora aposentada, mãe de três filhos maravilhosos e vovó de um bebê lindo,amo viver...adoro ouvir músicas e sou fã nº1 de um bom regaae,adoro poesias ,internet,sou uma orkuteira de plantão ,adoro postar fotos e um monte de coisas. Bjbjbjbj

Amo sua visita... 24/09/09

free counters

Você está no...

sábado, 29 de agosto de 2009

GRIPE A – H1N1 – SUÍNA – SANTA CATARINA REGISTRA MAIS 8 MORTES PELA GRIPE

GRIPE A – H1N1 – SUÍNA – SANTA CATARINA REGISTRA MAIS 8 MORTES PELA GRIPE

Postado dia 28 de agosto de 2009 por Klebber S Nascimento

GRIPE A – H1N1 – SUÍNA – SANTA CATARINA REGISTRA MAIS 8 MORTES PELA GRIPE

Klebber S Nascimento

28.08.2009

FORMADORES DE OPINIÃO:

Estamos sendo repetitivos, mas continuamos noticiando e trazendo informes, para que os leitores tenham acesso aos dados sobre a pandemia da Gripe A, uma vez que o Governo, a quem compete o zelo e o cuidado com a vida e integridade da população que eles deveriam representar, nada faz, está omisso, apenas observando o numero crescente de mortes.

Buscamos ao informar, ampliar o conhecimento sobre a seriedade e gravidade dessa doença, para que possam asseverar cautelas mais efetivas, para minimizarem a possibilidade de contagio. Há de se ver que o Estado está ausente e as mortes são constantes a cada dia.

Há de perceberem na matéria abaixo, que existem mais 98 óbitos em estagio de analise para confirmação de terem sido por conta da doença. A previsão de contágio, pela OMS, é que alcance no Brasil, 70 milhões de pessoas, com taxa de mortalidade igual a 12%, segundo a matéria http://www.formadoresdeopiniao.com/?p=3020, teremos a expectativa de 8 milhões de mortos no País.

============================================================

A Secretaria de Saúde de Santa Catarina confirmou hoje mais oito óbitos no Estado em decorrência do vírus Influenza A (H1N1), conhecido como gripe suína. As mortes ocorreram entre os dias 1º e 24 de agosto e os exames foram realizados pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Rio de Janeiro. Com esses casos, chega a 20 o número de mortes causadas pela doença no território catarinense.

Entre as vítimas estão cinco homens, de 38, 51, 60 e 74 anos, e três mulheres de 27, 49 e 57 anos. Destas oito vítimas, sete apresentavam chances de complicação do quadro devido a alguma doença. A Vigilância Epidemiológica Estadual (DIVE) ainda investiga outros 98 óbitos.

Segundo medida publicada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), todos os pacientes que tomam o medicamento Tamiflu (fosfato de oseltamivir) terão de ser monitorados e as autoridades médicas notificadas quanto a possíveis reações alérgicas. A obrigatoriedade do monitoramento saiu ontem no Diário Oficial da União. A medida tem por objetivo ampliar as informações sobre a segurança da medicação durante a pandemia de gripe suína.

Categoria: Cidadania, Civismo, Noticias, Patriotismo, Saúde | tags: , , , , | 1 comentário
Imprimir Imprimir Enviar para um Amigo Enviar para um Amigo


SÍNDROME DE REYE É GRAVE E PODE MATAR, AFIRMAM INFECTOLOGISTAS

Postado dia 15 de agosto de 2009 por João Luiz

Para Anvisa, medicamentos com ácido acetilsalicílico devem ser evitados.

Hoje, agência suspendeu propaganda desses remédios.

Faltam dados oficiais no país sobre o número de casos da Síndrome de Reye. No entanto, a doença que gerou um alerta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é conhecida pelos médicos brasileiros há mais de 40 anos e pode ser fatal. O órgão do governo federal ressaltou nesta semana a indicação para que pacientes com infecções virais – como as causadas pelos vírus influenza – evitem o uso de medicamentos com ácido acetilsalicílico. Remédios que contêm esse princípio ativo (presente, por exemplo, na aspirina) são as maiores causas da síndrome em crianças com quadro gripal.

É importante dizer que não tem nada a ver com o uso do Tamiflu”

O alerta da Anvisa é direcionado especificamente às crianças e adolescentes, população mais exposta ao problema. Os especialistas ressaltam que a doença não tem relação apenas com os casos da nova gripe mas com todas as infecções virais.

“É importante dizer que não tem nada a ver com o uso do Tamiflu”, explica o pediatra Evandro Rafael Baldacci, do Instituto da Criança, em São Paulo. “A relação da síndrome com uso do ácido acetilsalicílico em crianças com vírus como o da varicela (catapora) e o influenza se conhece desde 1968.”

De alguma forma ainda desconhecida pelos médicos, a susbstância, quando entra no organismo de uma criança infectada, pode causar a alteração do nível de gordura arterial e resultar na falência das funções renais e hepáticas. O resultado costuma ser o estado de coma. “A doença era mais comum quando o

ácido acetilsalicílico era amplamente indicado, mas ainda hoje a frequência com que ela acontece não é desprezível”, afirma o pediatra.

A relação da síndrome com uso do ácido acetilsalicílico em crianças com vírus como o da varicela (catapora) e o influenza se conhece desde 1968″

Segundo o infectologista Caio Rosenthal, do Hospital das Clínicas (HC), a orientação da Anvisa vem em boa hora, pois os casos de gripe se multiplicam nesta época do ano. “É uma doença grave, pode ser letal e o diagnóstico não é simples de ser feito”, afirma. “É um agravo sistêmico para o qual não existe um exame específico que o aponte.”

Segundo o infectologista André Lomar, do Hospital Albert Einstein, a preocupação da agência é coerente com a epidemia da nova gripe. “O melhor nesse período é usar medicamentos com parecetamol”, explica.

De acordo com dados da National Reye’s Syndrome Foundation (NRSF), entidade americana que luta para divulgar a doença nos EUA, a taxa de letalidade da síndrome pode chegar a 50% dos casos. Em sua página na internet a entidade mantém orientações para casos suspeitos da nova gripe.

Nova gripe

No mesmo comunicado, a Anvisa fez o alerta para que gestantes e crianças menores de 1 ano, medicadas com o antiviral Tamiflu, sejam monitoradas por seus médicos. A medida foi bem aceita pelos infectologistas. “Não existem trabalhos científicos que sustentem a segurança do uso do medicamento em crianças, principalmente as menores de 1 ano”, afirma Baldacci.

A recomendação para as gestantes com suspeita da nova gripe, diz o pediatra, é procurar um médico imediatamente para ser monitorada. “O médico vai fazer um tratamento de sustentação e, caso ela piore, é administrada a medicação”, explica.

Fonte: Globo.com

Categoria: Cidadania, Noticias, Saúde | tags: , , , , , , , , , , , , | Escreva um comentário
Imprimir Imprimir Enviar para um Amigo Enviar para um Amigo


ANVISA PROÍBE ANÚNCIOS DE REMÉDIOS CONTRA GRIPE TEMPO INDETERMINADO

Postado dia 15 de agosto de 2009 por João Luiz

Medida foi tomada por causa da pandemia da nova gripe.

Agência diz que uso dos medicamentos pode mascarar risco à saúde.

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária proibiu a veiculação de propagandas de remédios contra a gripe por tempo indeterminado. A resolução, que foi publicada nesta sexta-feira (14) no Diário Oficial, impede anúncios de produtos à base de ácido acetilsalicílico, além dos medicamentos com propriedades analgésicas e antitérmicas que não precisam de receita médica e os que contenham dipirona sódica, paracetamol e ibuprofeno.

Além dos anúncios em TV, rádio e internet, fica vetada a presença de propagandistas em farmácias. De acordo com a agência, a suspensão é necessária pela “circunstância especial de risco à saúde” por causa da elevação de casos da nova gripe. Segundo a resolução, o uso desses medicamentos pode mascarar uma situação de risco à saúde.

A medida só será revogada, diz a Anvisa, quando a “circunstância especial de saúde” terminar. De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil registrava 192 mortes até a última terça-feira (11).

Tamiflu

O medicamento usado no combate à nova gripe -o fosfato de oseltamivir, conhecido como Tamiflu- não está disponível nas farmácias. O laboratório que fabrica o remédio está atendendo prioritariamente aos pedidos do ministério, disse o órgão em um anúncio publicado nesta sexta em jornais de grande circulação. Segundo o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, a não venda nas drogarias evita a automedicação e uma “corrida às farmácias.”

“Algumas pessoas criticam porque o medicamento não está disponível na farmácia para toda e qualquer pessoa que tiver uma receita médica. [Se fosse assim,] Teríamos uma corrida às farmácias. A população com maior poder aquisitivo – porque o medicamento é caro – compraria o medicamento para estocar e para fazer uso profilático, o que é contraindicado. Teríamos uma forte automedicação. É preciso responsabilidade ao lidar com essa questão”, disse o ministro no começo deste mês.

Os pacientes que precisam tomar o Tamiflu devem se dirigir aos postos de distribuição do remédio montados pelos estados para conseguir o tratamento gratuitamente. O medicamento só é entregue com receituário médico.

Fonte: Globo.com

Categoria: Cidadania, Noticias, Patriotismo, Saúde | tags: , , , , , , , , , , , | Escreva um comentário
Imprimir Imprimir Enviar para um Amigo Enviar para um Amigo


TAMIFLU NÃO É EFICAZ SE O DIAGNÓSTICO FOR TARDIO

Postado dia 13 de agosto de 2009 por João Luiz

O remédio deve ser ministrado em, no máximo, 72 horas após o aparecimento dos primeiros sintomas

O universitário F.M.C. não viajou nas férias de julho, nem teve contato com ninguém de fora ou com pessoas que viajaram, mas pode ser um caso típico de diagnóstico tardio da gripe suína. Os primeiros sintomas de febre alta e fortes dores musculares apareceram há dez dias. Ele achou que era uma gripe comum, mas como a febre prolongou-se por uma semana, sem ceder, procurou um médico de um posto de saúde.

Segundo relatos da família, que prefere ficar no anonimato, o médico do posto disse que não tinha como fazer o diagnóstico e recomendou que ele fosse ao Hospital São José para fazer o teste e saber se tinha gripe suína. O resultado ainda não saiu, mas hoje ele está sem sintomas e já voltou a dirigir.

No caso de outra jovem, de 22 anos, o resultado positivo da doença saiu tardiamente, só na última terça-feira, após uma semana do caso ser tratado como pneumonia. Tanto ela quanto o universitário, durante o período em que estiveram doentes, não tomaram o Tamiflu.

Apesar de desconhecer os dois casos, o infectologista do Hospital das Clínicas, Ivo Castelo Branco, disse que o medicamento para ser eficaz contra a gripe suína deve ser ministrado em 48 horas, no máximo, até 72 horas. “O problema é que nos primeiros dias os sintomas da gripe são pequenos e as pessoas não procuram o posto ou o médico do plano de saúde nesse período”, diz o infectologista e professor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC).

O tratamento tardio pode ser explicado pelo período que a doença leva até mostrar os sinais de agravamento. “O tempo para um paciente que está com sintoma ficar (em estado) grave não é 48 horas, geralmente é no quarto dia. Então, o remédio já não tem mais efeito”, diz Ivo Castelo Branco.

Os casos de diagnóstico tardio, na visão do infectologista do Hospital das Clínicas, devem receber um tratamento de suporte no hospital, com internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), se for necessária, para evitar as mortes. “Essa gripe (Influenza A) está matando igual a gripe comum, a diferença é que está matando jovens e mulheres grávidas”, observa o médico.

O infectologista faz um esclarecimento em relação às grávidas. Segundo ele, a gravidez não baixa a imunidade, como foi divulgado por alguns veículos da mídia televisiva. Na verdade, “a imunidade muda e os agentes infecciosos se aproveitam disso, daí porque os casos de gripe suína em gestantes podem ser mais graves do que em mulheres que não estão grávidas”, completa.

A decisão da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) de disponibilizar o Tamiflu para os hospitais públicos e privados vai dar autonomia ao especialista para também antecipar o começo do uso do Tamiflu para antes das primeiras 48 horas, diz Ivo Castelo Branco. Para o infectologista, as pessoas precisam tomar a vacina antes da próxima quadra chuvosa para se prevenirem do vírus H1N1 em 2010. “No caso do Ceará, as chuvas começam no fim de dezembro, mas o governo federal deve ter a vacina só em abril”, conclui o infectologista.

COLETA DE MATERIAL

Sesa exige cadastro de todos os médicos


A partir da próxima semana, os hospitais públicos e privados de Fortaleza poderão receber kits para a realização da coleta de material para os testes de gripe suína em pacientes. “O material coletado será enviado ao Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), que se encarrega de remeter para o Laboratório Evandro Chagas, em Belém”, afirmou o presidente do Comitê Estadual de Prevenção e Controle da Influenza A, Manoel Fonseca.

Antes de iniciar a distribuição dos meios de cultura para o teste do vírus H1N1, Fonseca disse que os hospitais terão que fazer o credenciamento junto ao órgão e agendar um treinamento com os técnicos do Lacen para aprenderem a realizar o procedimento padrão da coleta no paciente.

A partir do credenciamento, Manoel Fonseca disse que, os hospitais públicos e privados vão passar a atender e resolver a situação dos pacientes que chegarem com os sintomas da gripe suína. “Se for o caso, prescrever o medicamento Tamiflu e internar”, enfatizou.

Ontem pela manhã, o presidente do Comitê Estadual de Prevenção e Controle da Influenza A se reuniu com infectologistas da rede hospitalar pública e particular para debater a descentralização no atendimentos dos pacientes e do uso do medicamento Tamiflu. Cada hospital terá que cadastrar na Sesa o nome do médico “prescritor” do Tamiflu.

Somente o profissional cadastrado poderá assinar o formulário de solicitação do medicamento. “Os hospitais públicos poderão cadastrar até três médicos e os representantes da rede privada ficaram de estudar esse mecanismo junto à direção dos hospitais”, diz.

No caso dos plantonistas que atenderem pacientes com sintomas da nova gripe, “o médico terá que entrar em contato com o prescritor para que o Tamiflu seja liberado”, esclarece Manoel Fonseca.

Apesar da descentralização, a Sesa não abre mão do Hospital São José Controlar a entrega do Tamiflu aos pacientes. “A quantidade do remédio é limitada no Nordeste”, justifica.

imagem

Fonte: Diário do Nordeste

Categoria: Cidadania, Civismo, Saúde | tags: , , , , , , | Escreva um comentário
Imprimir Imprimir Enviar para um Amigo Enviar para um Amigo


Gripe Suina

Postado dia 11 de agosto de 2009 por João Luiz

O anis estrelado, amplamente cultivado na China, é o extrato-base (75%), da produção do comprimido Tamiflu, da Roche (empresa do antigo Secretário de Defesa dos EUA Donald Runsfield).

Mas, como é um pouco difícil encontrar o anis estrelado aqui no Brasil, podemos usar o nosso anis mesmo – a erva-doce – pois esta erva possui as mesmas substâncias, ou seja, o mesmo princípio ativo do anis estrelado, e age como anti-inflamatória, sedativa da tosse, expectorante, digestiva, contra asma, diarréia, gases, cólicas, cãibras, náuseas, doenças da bexiga, gastrointestinais, etc…

Seu efeito é rápido no organismo e baixa um pouco a pressão, devendo ser feito o chá c/apenas uma colher de café das sementes para cada 200ml de água, administrado uma a duas vzs dia, de preferência após uma refeição em q se tenha ingerido sal.

Se vc está lendo, ajude a divulgar o uso da erva-doce como preventivo do H1N1, ou mesmo como remédio a ser tomado imediatamente após os 1ºs sintomas de gripe, pois seu princípio ativo poderá bloquear a reprodução do vírus e mesmo evitar seu maior contágio. Porém, pouco ou nada adiantará utilizar a erva-doce após 36 horas do possível contágio pelo H1N1, pois a erva ñ terá mais força substancial p/bloquear a propagação do vírus no sistema respiratório.

Efeitos colaterais: pequena sonolência nas 2 primeiras horas – evitar dirigir e/ou operar máquinas.

Obs:

- O uso da erva-doce é alternativo e poderá ser até eficaz, mas não substitui a assistência médica necessária;

- Donald Runsfield compra 90% da produção mundial do anis estrelado da China, desde 1997, qdo surgiram os primeiros casos de gripe aviária H5N1 (uma das variáveis do H1N1)… seria por acaso???

Categoria: Artigo, Dicas, Saúde | tags: , , , , , , , | 2 comentários
Imprimir Imprimir Enviar para um Amigo Enviar para um Amigo


H1N1 – GRIPE A – SUINA – MPF QUER TAMIFLU PARA TODOS OS PACIENTES COM SINTOMAS DA GRIPE NO PARANÁ

Postado dia 10 de agosto de 2009 por Klebber S Nascimento

H1N1 – GRIPE A – SUINA – MPF QUER TAMIFLU PARA TODOS OS PACIENTES COM SINTOMAS DA GRIPE NO PARANÁ

Klebber S Nascimento

10.08.2009

O Ministério Público Federal no Paraná ajuizou uma ação civil pública na última sexta-feira (7) para garantir que todos os doentes com sintomas de gripe no Estado consigam receber tratamento com o antiviral Tamiflu, contanto que um médico tenha receita o remédio. A medida valeria tanto para casos suspeitos de gripe suína quanto de gripe comum.

A Secretaria de Saúde do Estado registrou 31 mortes causadas pelo vírus da influenza A (H1N1) e 784 casos confirmados da doença no território.

Segundo nota da Procuradoria da República, o objetivo é garantir que o remédio seja administrado aos pacientes até 48 horas depois do início dos sintomas.

Além disso, o MPF quer que o governo federal repasse ao Paraná quantidade suficiente do medicamento em solução oral, forma destinada ao uso pediátrico.

Pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, disseram nesta segunda-feira (10) que os efeitos colaterais do Tamiflu podem superar os benefícios para as crianças. De acordo com levantamento dos pesquisadores, crianças britânicas que usaram o remédio tiveram diminuição de um dia na duração da gripe, mas não apresentaram redução de acessos de asma ou a probabilidade de elas precisarem de antibióticos

Categoria: Artigo, Cidadania, Civismo, Noticias, Saúde | tags: , , , , , , , , , , | Escreva um comentário
Imprimir Imprimir Enviar para um Amigo Enviar para um Amigo


H1N1 – GRIPE A – SUÍNA – ESTADO DE SP TEM 176 POSTOS DE DISTRIBUIÇÃO DE REMÉDIO CONTRA GRIPE – VEJA LISTA

Postado dia 9 de agosto de 2009 por Klebber S Nascimento

H1N1 – GRIPE A – SUÍNA – ESTADO DE SP TEM 176 POSTOS DE DISTRIBUIÇÃO DE REMÉDIO CONTRA GRIPE – VEJA LISTA

Klebber S Nascimento

09.08.2009

O governo do Estado e a Prefeitura de São Paulo divulgaram os postos de distribuição do antiviral oseltamivir (comercializado como Tamiflu), usado no tratamento contra a gripe suína –a gripe A (H1N1). Em São Paulo, a distribuição ocorre nas 115 AMAs (Assistência Médica Ambulatorial), a partir desta sexta-feira. Já no interior, a distribuição será feita em 61 postos, a partir de segunda (10).

Na capital, além das 115 AMAs, os hospitais onde há pacientes internados terão acesso ao medicamento nas 25 Supervisões Técnicas de Saúde de segunda a sexta-feira e, aos finais de semana, nos cinco plantões regionais da Secretaria Municipal da Saúde.

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o medicamento será destinado a todas as pessoas com suspeita da gripe A (H1N1). O objetivo é facilitar o acesso ao medicamento a pacientes que precisam do remédio, mas cujos casos não requerem internação hospitalar, principalmente gestantes e grupos de risco.

Para retirar o medicamento, o paciente precisa entregar um formulário padronizado pelo governo, preenchido, assinado e carimbado pelo médico. Com o formulário, é necessário ainda entrar uma receita médica com a prescrição do tratamento, incluindo a dosagem.

A retirada do antiviral poderá ser realizada pela família ou acompanhante do paciente, com a apresentação de um documento de identificação.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, o horário de funcionamento das AMAs é de segunda a domingo, das 7h às 19h. A Secretaria Estadual de Saúde não soube informar o horário de atendimento dos postos que distribuirão o remédio no interior. Veja abaixo os endereços das AMAs e dos postos no interior.

Sintomas

A gripe suína é uma doença respiratória causada pelo vírus influenza A, chamado de H1N1. Ele é transmitido de pessoa para pessoa e tem sintomas semelhantes aos da gripe comum, com febre superior a 38ºC, tosse, dor de cabeça intensa, dores musculares e nas articulações, irritação dos olhos e fluxo nasal.

Para diagnosticar a infecção, uma amostra respiratória precisa ser coletada nos quatro ou cinco primeiros dias da doença, quando a pessoa infectada espalha vírus, e examinadas em laboratório.

Os antigripais Tamiflu e Relenza, já utilizados contra a gripe aviária, são eficazes contra o vírus H1N1, segundo testes laboratoriais, e parecem ter dado resultado prático, de acordo com o CDC (Centros de Controle de Doenças dos Estados Unidos).

Veja os locais de distribuição do medicamento

POSTOS NO ESTADO DE SP

Local Endereço
Região de Santo André
GVE R. Cesário Mota,351 Centro, Santo André
VE São Bernardo do Campo R. Pietro Franquini, 47
CE de Diadema Av. Antonio Piranga, 700, Diadema
Região de Mogi das Cruzes
Hospital das Clínicas Luzia de Pinho Melo R. Manoel de Oliveira, s/n Mogilar. Fone: 3583-2800
Secretaria Municipal de Saúde de Guarulhos R. Iris, 300 Gopouva, Guarulhos
Franco da Rocha
Núcleo Assistência Farmacêutica de Franco da Rocha(DRS1) Av dos Coqueiros s/n Centro
Região de Osasco
VE de Osasco R. Virginia Trivilar, 29 Centro
Hospital Geral de Pirajussara Av Ibirama,1214 Pq Industrial, Taboão da Serra
Região de Araçatuba
GVE R Oscar Rodrigues Alves,1296, Araçatuba
Sub Grupo da GVE R. Floriano Peixoto, 1294, Andradina
Araraquara
Hospital Estadual de Americo Brasiliense Alameda Aldo Lupo, 502, Vista Alegre
Região de Assis
Hospital Regional de Assis Pa Dr. Symphonio A dos Santos. Fone (18) 3302-6000
Santa Casa de Ourinhos R. D. Pedro I, 716, Ourinhos. Fone: 3322-1133
GVE 13 Assis R. Quintino Bocaiúva,289
Região de Barretos
SMS Barretos Av Ibirapuera, 177 City Barretos;
Hospital Municipal de Bebedouro Av. Raul Furquim,1210 Jd Júlia, Bebedouro
SMS Olímpia Pça Altino Arantes, 115 Centro, Olímpia
Bauru
SMS Bauru – Departamento de Saúde Coletiva R. Dr. Lisboa Junior, 2-66 Altos da Cidade, Bauru
Botucatu
GVE Av. Santana, 353 Centro, Botucatu
Subgrupo Avaré R. Santos Dumont,1901 Brabância, Avaré
Campinas
Central de Regulação do DRS Av. Orosimbo Maia, 75 Centro
Região de Franca
1. GVE 18 Av Miguel Sabio de Mello, 1833 Distrito Industrial
Farmácia da Santa Casa de Ituverava Pça Monsenhor João Rule, 729 Ituverava
Região de Marília
SMHS do município de Marília Av. República, 1000 Centro
HC Marília R. Aziz Athala,sn, Fragata
GVE 19 Marília R. 15 de Novembro,1151 Centro
Subgrupo GVE Tupã R. Mandaguaris, 1000 Centro
Piracicaba
Central de Regulação de Urgência e Emergência Rua do Trabalho,602 Vila Independência
Região de Presidente Prudente
Santa Casa de Misericórdia de Martinópolis R. José Henrique de Mello, 236 Centro, Martinópolis
Hospital e Materniodade de Rancharia R. Mario C de Camargo, 1559, Centro, Rancharia
Região de Presidente Venceslau
GVE Pres. Venceslau R Comandante Antenor Pereira, 10 Centro P Venceslau
Centro de Saúde Dt. Takahashi Enokiara R. Espírito Santo,135 Centro, Dracena
Região de Registro
Hospital Regional Vale do Ribeira R. dos Expedicionários, s/n Pariquera-Açu
Região de Ribeirão Preto
CSII Sertãozinho R. Pedro Bighetti, 910 Sala 40, Jd Recreio
Municípios da área de abrangência do Vale das Cachoeiras Pa Anita Garibaldi, sn Centro, Batatais
Municípios da área de abrangência do Colegiado Aquifero Guarani R. Albuquerque Lins, 406, Jd Paulista – Ribeirão Preto
Região de Santos
Hospital Regional de Itanhaém Av Rui Barbosa,541 Centro, Itanhaém
Hospital Guilherme Alvaro R. Oswaldo Cruz, 197, Boqueirão
Região de São João da Boa Vista
PS Municipal São João da Boa Vista Rua da Saudade, s/n Vila Conrado, São João da Boa Vista
Pronto Socorro Municipal Av. Pe Jaime, 1500, Jardim Planalto Verde, Mogi Guaçu
PS Municipal São Jose do Rio Pardo R. Campos Sales,1377 Centro, São Jose do Rio Pardo
Região de São José dos Campos
VE Caçapava R. Prof. João Batista Ortiz,345, Vila Antonio Augusto
VE de Jacareí R. Luís de Araújo Máximo, 98, Jd Paraíba
Hospital Clínica Sul Pça Natal, 55 Farmácia – Pq Industrial
Região de Caraguatatuba
VE Caraguatatuba Av Rio Branco,475 2
VE Ilha Bela R. Maria Dias Barbosa,25
VE São Sebastião R. Monsueto Pierotti, 391
VE Ubatuba R. Alfredo de Araújo,34
Região de São José do Rio Preto
GVE R das Palmeiras,140 Vl Santa Catarina
Subgrupo de Votuporanga R. Minas Gerais,3612 Patrimônio Velho – Votuporanga
Hospital Padre Albino R. Belem,519 Centro Catanduva
Região de Jales
GVE Jales Rua Nove, 2350 1º e 2º andares – Centro
Consórcio Intermunicipal de Jales Av. Integração, 2151 Jd Tianon
Santa Casa de Fernandópolis Av.Afonso Cáfaro,2630 Bairro Santista
Pronto Socorro Intermunicipal de Santa Fé do Sul R. 16, nº195, Centro
Região de Sorocaba
GVE Av. Comendador Pereira Inácio,105, Lageado
VE Municipio Sorocaba R. Humberto de Campos,541, Jd. Zulmira
Conjunto Hospitalar de Sorocaba -farmácia Av. Comendador Pereira Inácio, 564, Lageado
Região de Itapeva
Santa Casa de Misericórdia de Itapeva R. Santos Dumont, 433 Centro
Região de Taubaté
Ambulatório Municipal de Infectologia R. Benedito Cursino dos Santos s/n Centro
Santa Casa de São José R. 7 de Setembro, 122 Centro, Cachoeira Paulista

GVE = Grupo de Vigilância Epidemiológica
SMS = Secretaria Municipal de Saúde
VE = Vigilância Epidemiológica
PS = Pronto Socorro
CS = Centro de Saúde
HC = Hospital de Clínicas

Categoria: Cidadania, Civismo, Dicas, Noticias, Saúde | tags: , , , , , , , , , | 2 comentários
Imprimir Imprimir Enviar para um Amigo Enviar para um Amigo


GRIPE H1N1 – SUÍNA – TAMIFLU É CONTRA INDICADO PARA CASOS DA GRIPE

Postado dia 8 de agosto de 2009 por Klebber S Nascimento

GRIPE H1N1 – SUÍNA – TAMIFLU É CONTRA INDICADO PARA CASOS DA GRIPE

Klebber S Nascimento

08.08.2009

Dois estudos divulgados na quinta-feira com crianças britânicas mostraram que mais da metade das que tomaram Tamiflu, o remédio indicado para prevenção e tratamento da gripe suína, sofreram de efeitos colaterais, como náusea, dores, insônia e até pesadelos.

Os estudos foram conduzidos por especialistas da Agência de Proteção de Saúde (HPA, na sigla em inglês) da Grã-Bretanha e publicadas no site da revista científica Eurosurveillance.

Em um dos estudos, os dados foram levantados em uma escola no sudoeste da Inglaterra. As crianças – de 11 e 12 anos de idade – começaram a tomar a medicação depois que alguns colegas foram diagnosticados com gripe suína.

Os pesquisadores investigaram dados de 248 crianças que tomaram o remédio apenas para prevenção da doença.

‘Comportamento estranho’

“Cinquenta e um por cento tiveram sintomas como náusea (31,2%), dor de cabeça (24,3%) e dor de barriga (21,1%). Apesar de algumas crianças estarem doentes com algum tipo de sintoma parecido com os da gripe, nenhuma estava infectada com o vírus A (H1N1)”, diz o estudo.

Segundo a pesquisa, 77% das crianças fizeram o tratamento completo com Tamiflu e 91% usaram o remédio por pelo menos sete dias seguidos.

Os cientistas disseram que os efeitos pesquisados são comuns e que “o desconforto dos efeitos colaterais precisa ser considerado” pelos pais que dão o Tamiflu para seus filhos como forma de prevenção.

Outro estudo do HPA em três escolas de Londres, também publicado no Eurosurveillance, com 103 crianças mostrou que 85 delas tomaram a medicação para se prevenir, depois que um colega de aula foi diagnosticado com a gripe. Uma das escolas chegou a ficar fechada por dez dias.

Dos 85, 45 sofreram pelo menos um dos efeitos colaterais. Os mais comuns foram náusea (29%), dores estomacais ou cãibras (20%) e problemas de sono (12%), como insônia e pesadelos.

Dezoito por cento sofreram efeitos neuropsiquiátricos, como falta de concentração, sensação de confusão, pesadelos e “comportamentos estranhos”.

O estudo foi conduzido em abril e maio, antes de o governo britânico parar de indicar o Tamiflu para prevenção. Atualmente o remédio é usado apenas para tratamento de pessoas já infectadas ou com suspeita.

Fonte: Retirado do Blog Formadores de Opinião

Nenhum comentário:

Postar um comentário